novembro 2020


novembro 2020

O percentual de consumidores que tiveram seu nome negativado é o menor desta série histórica e é resultado da queda nas vendas do varejo em função da crise provocada pela COVID-19.

 

O indicador do Sistema de Proteção ao Crédito da Associação Comercial e Industrial de Londrina – ACIL, trabalha com dois grupos de consumidores: a) entrantes (restrição ao crédito) - aqueles que deixaram de pagar alguma conta e tiveram o nome incluído no cadastro de consumidores inadimplentes, e b) saintes (recuperação de crédito) - aqueles que estavam com o nome no cadastro de ‘restrição ao crédito’, mas negociaram suas dívidas e limparam o nome.

Os dados do mês de novembro continuam mostrando forte queda na quantidade de consumidores que tiveram seu nome incluído no cadastro de maus pagadores. Foram 20% menos pessoas negativadas em relação ao mesmo mês do ano passado. Quando considerados os 11 meses de 2020 na comparação com o mesmo período de 2019 o número de consumidores que tiveram seu nome incluído no cadastro de inadimplentes está 37% menor. Este comportamento é explicado principalmente em função da queda nas vendas ao longo de praticamente todo o ano, decorrente da crise provocada pela pandemia de COVID-19.

Por outro lado, o movimento de pagamento e renegociação de dívidas para tirar o nome do cadastro negativo, que em outubro trouxe números positivos, não se repetiu em novembro e 23% menos consumidores conseguiram limpar o nome no Sistema de Proteção ao Crédito. No ano, este indicador continua negativo em 31% na comparação com o ano passado.

O aumento na taxa de desemprego, especialmente os com carteira assinada e consequente redução no volume financeiro proporcionado pela entrada do 13º salário, ajudam a entender esta queda no percentual de consumidores que conseguiram recuperar sua condição de crédito.