março 2021


março 2021

O fim do auxílio emergencial, a lenta recuperação da economia e as contas de final de ano vencendo fazem elevar a inadimplência no varejo de Londrina

 

O indicador do Sistema de Proteção ao Crédito da Associação Comercial e Industrial de Londrina – ACIL, trabalha com dois indicadores: a) consumidores entrantes (incluídos na restrição ao crédito) - aqueles que deixaram de pagar alguma conta e tiveram o nome incluído no cadastro de consumidores inadimplentes, e b) consumidores saintes (recuperaram acesso a crédito) - aqueles que estavam com o nome no cadastro de ‘restrição ao crédito’, mas negociaram suas dívidas e limparam o nome.

Os dados do mês de março mostram que o percentual de consumidores incluídos no cadastro de restrição ao crédito ficou 9% maior na comparação com o número de negativados em março de 2020. Depois das quedas na inclusão de consumidores no cadastro de inadimplência em janeiro e fevereiro, as contas de início de ano começaram a trazer efeitos na capacidade do consumidor cumprir com suas prestações. De qualquer forma, no ano, o indicador ainda é positivo mostrando que -15% de consumidores foram negativados em comparação com o primeiro trimestre de 2020.

O lado desfavorável está na quantidade percentual de consumidores que, estando negativados conseguiram limpar seu nome. Foram 10% menos consumidores que conseguiram negociar suas dívidas atrasadas na comparação com o mesmo mês do ano passado. Neste aspecto, o primeiro trimestre do ano encerra com um resultado 31% menor em termos de consumidores que conseguiram restituir sua condição de tomadores de crédito.

O comércio como um todo, está apostando na recuperação econômica, o que pode ser visto nos indicadores de geração de emprego formal divulgados pelo CAGED que mostram aumento nas contratações. No entanto, ainda há muita apreensão por parte dos lojistas, que continuam esperançosos na retomada mais vigorosa da  economia e na ajuda do novo auxílio emergencial.