maio 2020


maio 2020

O resultado de maio mostra que o comerciante varejista de Londrina ainda evita passar a informação de inadimplência de seus clientes em consideração às dificuldades econômicas  impostas pela pandemia de COVID-19.

O indicador do Sistema de Proteção ao Crédito da Associação Comercial e Industrial de Londrina – ACIL, trabalha com dois grupos de consumidores: a) entrantes - aqueles que deixaram de pagar alguma conta e tiveram o nome incluído no cadastro de consumidores com ‘restrição ao crédito’, e b) saintes - aqueles que estavam com o nome no cadastro de ‘restrição ao crédito’, mas negociaram suas dívidas e limparam o nome.

O número de consumidores que tiveram seu nome incluído no sistema de proteção ao crédito continua muito abaixo na comparação com o mesmo período do ano passado. No mês de abril o percentual de clientes que tiveram seu nome incluído no cadastro negativo foi 73% menor que no mesmo mês do ano passado e em maio esta situação se repetiu com uma queda de 50% na comparação com maio de 2019.

Este comportamento é explicado em razão da não informação dos lojistas da condição de inadimplência de seus clientes face as dificuldades financeiras acarretadas pelo desemprego e perda de renda das pessoas em função da crise econômica provocada pela pandemia de Coronavírus que assola o mundo.   

Quando os dados são em relação a quantidade de consumidores que conseguiram limpar seu nome, pagando ou renegociando suas dívidas atrasadas, os números indicam o quanto esta situação atinge o londrinense. Em abril 57% menos consumidores conseguiram limpar seu nome e em maio este percentual foi de menos 38%, revelando a escassez de dinheiro por que passamos.

Prof. Dr. Marcos J. G. Rambalducci

UTFPR