28 de setembro de 2020


28 de setembro de 2020

Olá meus caros. Na coluna passada abordamos a importância da indústria para a cidade de Londrina especialmente no que diz respeito a sua capacidade de gerar renda e empregos para nossa gente. Hoje trago informações relevantes acerca de como a indústria, especialmente aquela ligada ao setor eletro Metalmecânico está reagindo aqui em Londrina.

Dizia na semana passada que a indústria tem um papel absolutamente relevante não só na criação de empregos, mas fundamentalmente porque tem como característica trazer dinheiro novo irrigando toda a economia.

O Núcleo de Pesquisa Econômicas Aplicadas da UTFPR - NuPEA, faz mensalmente a pesquisa do Nível de Utilização da capacidade Instalada da Industria EletroMetalmecânica aqui na cidade de Londrina, em parceria com o SINDIMETAL Norte.

Em nível nacional, quem também faz esta pesquisa é a Confederação Nacional da Industria - CNI e a Fundação Getúlio Vargas. O NuPEA utiliza o mesmo instrumento de coleta de dados que a CNI de maneira a permitir que sejam feitas comparações entre os indicadores locais e nacionais.

Esta pesquisa é importante porque mede o nível de atividade da indústria e mostra o percentual do parque industrial que está trabalhando, ou seja, o quanto da capacidade de produção está sendo utilizada em dado momento. Junto com esta informação são levantadas informações em relação a evolução dos postos de trabalho e a quantas anda os estoques de produtos acabados na comparação com o mês anterior e com o mesmo mês de anos anteriores.

Esta informação ajuda a indústria no desafio de harmonizar, em todos os níveis, o grau de capacidade produtiva com o nível de demanda a ser atendida considerando o menor custo. Para isso é fundamental o planejamento e controle da capacidade produtiva.

Para nós cidadãos, é um forte sinalizador da situação econômica em que estamos vivendo e em especial um forte sinalizador de nossa capacidade de recuperação e geração de emprego e renda no momento que tentamos vencer os problemas surgidos a partir do processo pandêmico que atingiu a nós e ao mundo.

Na última terça-feira 22 de setembro, saiu o resultado da pesquisa local e da nacional. E a pesquisa revela ótimos sinais. Nossa indústria local utilizou no mês de agosto 83% de sua capacidade produtiva. No mês anterior a capacidade utilizada era de 80% semelhante à de junho. Em maio estávamos com 75% de utilização da capacidade instalada, mas vindo de uma situação dramática que foi o mês de abril com praticamente metade da capacidade instalada em ociosidade e como consequência, levando o desemprego a uma enorme quantidade de trabalhadores.

Junto com este aumento da utilização da capacidade instalada veio uma evolução positiva do número de empregados. Este indicador é medido com uma pontuação de 0 a 100 onde 50 pontos refletem estabilidade. Saímos de 41,5 pontos no mês de julho, portanto, números negativos para 52 pontos em agosto.

Melhor que isso. Os estoques de produtos acabados estão em baixa, tanto no indicador que compara os estoques com o mês anterior como os estoques planejados pelos administradores destas empresas.

Isto é um indicador de que as vendas estão em elevação, o que significa

  • Que a ocupação da capacidade instalada deve continuar a subir, aumentando a utilização de matéria prima
  • Que aumentará a oferta de postos de trabalho, especialmente aqueles com carteira assinada, que é uma característica do setor
  • Que haverá necessidade de investimentos na aquisição de mais máquinas, o que significa ainda mais empregos e em diversos outros setores.

E os indicadores nacionais? Também estes estão reagindo seguindo o mesmo vetor. Em agosto a utilização da capacidade instalada foi de 71%, Desde abril, quando atingiu 49% de utilização de seus equipamentos, a indústria nacional tem vindo em um crescente que nos permite imaginar que conseguiremos sair da crise em muito menos tempo do que imaginávamos.

     

Pensa nisso.

Te vejo na próxima coluna e até lá, se cuida.