20 de julho de 2020


20 de julho de 2020

20-07-2020_ECONOMIA_PARA_TODOS 

Olá meus caros. Como já sabem, neste espaço discutimos e procuramos trazer entendimento a situações econômicas de nosso cotidiano, que nos afeta, mas que, no mais das vezes acabamos não dando muita importância.

A ideia é de abordar de forma clara e simples algum tema do momento, que seja importante, relevante e que nos afete. Mas esta coluna é feita com sua participação. Mande um e-mail para nós no economiapratodos@nupea.org e escreva sobre o que você gostaria de ver comentado aqui. 

Na coluna passada falei em como a taxa de câmbio tem papel importante na formação dos preços dos produtos que compõe a cesta básica de alimentos, afora todas as demais implicações. Hoje quero falar um pouco acerca da caderneta de poupança e se nas condições atuais ela pode ser ainda um bom investimento.

O primeiro passo é diferenciar o que é poupança e o que é investimento, já que muitos podem pensar ser a mesma coisa. Mas não é e podemos fazer esta distinção pelos objetivos que tem cada um deles.

Poupar significa guardar uma certa quantia, ao mês por exemplo, com o objetivo de adquirir algum bem, produto ou serviço no futuro, evitando ter que assumir prestações que você não tem certeza se conseguirá pagá-las, ou mesmo ter uma reserva para um caso de emergência, seja por doença, uma despesa inesperada decorrente de um acidente, a perda do emprego, etc.

Já o investimento é realizado com o objetivo de gerar uma renda no futuro. É o caso da aposentadoria ou de quem quer atingir a independência financeira antes mesmo de chegar à idade de se aposentar – o popular “viver de renda”. Viver de renda nada mais é que ter acumulado um patrimônio grande o suficiente para que apenas seus frutos – os rendimentos – sejam suficientes para o seu sustento, suas viagens, seu consumo do dia a dia.

Em outras palavras podemos dizer que, enquanto o objetivo da poupança é juntar, o objetivo do investimento é fazer o dinheiro aumentar.

Daí a pergunta: não dá para fazer os dois – poupar e investir, utilizando uma conta poupança? Bom, para saber isso precisamos entender se as aplicações na conta poupança é capaz de entregar ao poupador um poder de compra maior do que quando ele colocou o dinheiro lá.

Vamos lembrar de como funciona um conta poupança. Ela rende juros a cada 30 dias e estes rendimentos são creditados na data base, o que significa dizer que, se você aplicou no dia 5, o rendimento será creditado no dia 5 do mês seguinte, e se você tirar antes, perde todo o rendimento.

A poupança tem duas formas distintas de rendimentos em função de alteração das regras: para quem fez depósitos até 03/05/2012 seu rendimento é de 0,5% a.m + TR. Como a TR está em zero o rendimento anual desta aplicação é de 6,2% ao ano.  

Para quem fez depósitos após 03/05/2012 se a Taxa SELIC for maior que 8,5% o rendimento é o mesmo – 6,2% ao ano, mas se a Taxa SELIC for igual ou abaixo de 8,5% os juros aplicados aos saldos da conta poupança serão de 70% da SELIC.

Você pode estar se perguntando, porque o governo adotou essa medida. A resposta é simples. O governo gasta mais do que arrecada e precisa tomar dinheiro emprestado e o faz emitindo títulos da dívida pública que são remunerados pela Taxa SELIC. Se a conta poupança mantivesse o rendimento de 6,2% ao ano, como na poupança o rendimento não paga imposto de renda, seria mais negócio, especialmente para o grande aplicador, optar por colocar seu dinheiro na conta poupança, do que comprar títulos da dívida pública, se a taxa destes títulos for menor que 8,5% ao ano, e neste caso, o governo ficaria sem dinheiro para pagar seus compromissos. Então o governo diminui a rentabilidade da poupança para manter a atratividade nos títulos públicos. Entendeu?

Bom, voltemos ao rendimento de uma conta poupança, para saber se ela pode ser um bom investimento, mas vamos nos concentrar nos cálculos para um poupador que começasse hoje economizar, ok?

Se você pusesse R$10.000 hoje na poupança, com a taxa Selic atual a 2,25% ao ano, você receberia 70% deste juro, ou o equivalente a 1,6% ao ano, o que representa R$ 160,00 de juros. Estaria você então R$ 160.00 mais rico? Depende.

Hoje com R$ 10.000,00 você consegue comprar 25 cestas básicas (a cesta está a 399,26). Se a cesta básica estiver daqui a um ano a R$ 423, quantas cestas básicas você conseguiria compra com os R$ 10.160,00? Somente 24, portanto você estaria mais pobre e não mais rico que hoje. Isso porque a poupança teria rendido 1,6% ao ano, mas, o preço da cesta básica, ou a inflação da cesta básico foi, neste exemplo, de 5,7%.

Ora, Nossa expectativa é para que a taxa Selic caia ainda mais e a taxa de inflação fique por volta dos 3%. Portanto, você pode tentar juntar dinheiro em uma conta poupança, mas, ela não se presta a investimento.

Mas ainda é melhor deixar seu dinheiro na conta poupança do que embaixo do colchão, que neste caso você perde também os R$ 160,00 e a conta poupança é ótima para ser utilizada como conta corrente, caso você seja adepto de acompanhar sua conta pela internet, não faça mais que  2 saques no caixa por mês.     

Pensa nisso.

Te vejo na próxima coluna e até lá, se cuida.