05 de outubro de 2020


05 de outubro de 2020

05-10-20_ECONOMIA_PARA_TODOS

Olá meus caros. Na coluna passada falei sobre como a indústria de Londrina está trazendo esperanças na rápida recuperação da economia de nossa cidade e por conseguinte abrindo espaço para novas contratações, gerando emprego e renda.

Foi exatamente isso o que revelou os dados divulgados na última quarta-feira 30/09 pelo Cadastro de Empregados e Desempregados – CAGED em seu Relatório mensal, mostrando que Londrina abriu 1198 novos postos de trabalho com carteira assinada.

Agora, se você acompanha os jornais, deve ter te chamado a atenção que, na mesma página de jornal que trazia a informação positiva de aumento no emprego em Londrina e no Brasil como um todo, revelando que o país teve o melhor desempenho na geração de empregos formais para um mês de agosto, desde 2010, outra chamada, agora do Instituto Brasileiro de Geografia e estatística o IBGE por meio da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicilio Contínua a PNAD Continua, aponta que a taxa de desemprego no Brasil atingiu a maior alta já registrada na série histórica iniciada em 2012, com 13,8% de desempregados.

Uma informação de tal importância para todos nós e informações aparentemente desencontradas. Oras, você deve estar se perguntando: em quem devo confiar? Qual é a informação correta? Pois é, ambas as informações, embora diametralmente opostas são verdadeiras e é disso que falo hoje, especialmente para chamar a atenção de como é necessário não se deixar levar somente pelo cabeçalho da notícia.

Primeiro é preciso esclarecer que são duas bases de dados distintas e com distintos propósitos. A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - PNAD Contínua é uma Pesquisa

Domiciliar Amostral, de periodicidade trimestral, com objetivo de acompanhar as flutuações trimestrais e a evolução, no curto, médio e longo prazos, da força de trabalho, e outras informações necessárias para o estudo do desenvolvimento socioeconômico do País.

Já o CAGED é de periodicidade mensal, cujo propósito é monitorar a evolução do mercado de trabalho formal (aquele com carteira assinada). Os dados do Caged são obtidos a partir de declarações enviadas mensalmente pelas empresas que informam qual foi a movimentação de empregados ao longo do mês, ou seja o quanto de empregados foram admitidos e quanto desligados.

Então, a PNAD contínua analisa toda a força de trabalho, enquanto o CAGED somente os trabalhadores com carteira assinada.

Outra diferença. A PNAD Contínua é uma pesquisa estatística que coleta seus dados ligando para os domicílios dentro das Regiões Metropolitanas das capitais, buscando pessoas acima de 14 anos na condição de ‘ocupadas’, sejam com ou sem carteira assinada, com ou sem CNPJ, analisando o trimestre.

Já o CAGED é uma pesquisa censitária que coleta seus dados com base na informação de todas as empresas em todos os municípios do Brasil, buscando qual foi o número de admitidos e desligados durante aquele mês específico.

Dito isso, vamos olhar cada uma das notícias com mais atenção. A PNAD contínua analisou o trimestre de maio a julho de 2020 concluindo que o Brasil contabilizou neste período 13,130 milhões de pessoas desempregadas, um aumento de 4,5% (561 mil pessoas) em relação ao mesmo trimestre de 2019.

Já os dados do CAGED mostram que em agosto o Brasil gerou 249.388 novos empregos com carteira assinada. Então veja, um está falando dos meses de maio, junho e julho, o outro está falando do mês de agosto. Está aí a grande diferença.

Agora, se você pegar os dados do CAGED, para o trimestre de maio junho e julho verá que ele traz que foram perdidos 240.969 empregos formais.

Daí podemos tirar algumas conclusões:

Primeiro, tanto o CAGED quanto a PNAD continua mostram o mesmo sentido evolutivo dos empregos quando são analisados no mesmo espaço de tempo.

Segundo , se a PNAD continua analisa toda a força de trabalho e revela 561 mil novos desempregados no trimestre de maio a julho e o CAGED analisa somente os trabalhadores formais e concluir que foram 250 mil desempregados no período, o percentual de trabalho informal no Brasil está em 57%.

Terceiro, certamente quando o trimestre em questão envolver os meses de julho agosto e setembro, a PNAD contínua mostrará a evolução positiva nos empregos, alinhando-se aos resultados mostrados pelo CAGED.

Quarto, não confie somente na chamada da notícia, procure se aprofundar e questionar a razão das noticias dizerem coisas totalmente diferentes sobre um mesmo tema. E te garanto, isso acontece muito mais vezes do que nos damos conta.  

 Pensa nisso.

Te vejo na próxima coluna e até lá, se cuida.