31 de maio de 2021


A percepção de que estamos diante de uma revolução da sustentabilidade de magnitude igual a que foi a Revolução Industrial, mas acontecendo na velocidade da Revolução Digital, foi colocada por Al Gore, ambientalista e ex-vice-presidente dos EUA em evento promovido pelo Valor Econômico na última terça-feira (25).

Neste mesmo evento, o colombiano e ex-presidente do Banco Interamericano de Desenvolvimento, Luiz Alberto Moreno, chamou a atenção para o fato de as aplicações em combustíveis fósseis serem as de pior rendimento e podem se tornar um tremendo prejuízo para seus investidores, nos próximos anos. 

Está claro que viraremos a chave na utilização energética, abandonando os combustíveis fósseis por energia renovável. Londrina pode aproveitar o momento com fomento para a industrialização voltada a atender esta demanda.  

Já fizemos esta opção ...

Roberto Rockmann em artigo no Valor Econômico (26) mostra como o Brasil pode assumir a vanguarda na transição para uma economia de baixo carbono, uma vez que já parte tendo 85% de sua matriz baseada em fontes renováveis, sendo 63,5% provenientes de geração hidroelétrica.

... e temos vocação natural ...

Al Gore mostrou números que apontam a capacidade do Brasil em gerar toda sua necessidade energética por meio da energia solar utilizando menos que 0,8% de seu território e mostra também que produzimos a energia eólica mais barata do mundo, R$ 1,07 por quilowatt/hora.

... para energia de baixo carbono.

E daqui 9 anos, segundo a previsão da consultoria PSR a participação das hidrelétricas cairá para 52% em função do crescimento de outras fontes, especialmente das usinas solares, tanto por geração centralizada (grandes usinas distribuidoras), mas especialmente pela geração distribuída (aquela próxima ou dentro da própria unidade consumidora).

Investimentos na geração solar ...

Não resta dúvidas que a descarbonização é uma tendência crescente, notada pelo setor privado como é o caso da Enel Green Power, com investimentos de R$ 5,6 bi na construção de cinco projetos de geração renovável no Nordeste, com capacidade para 1.300 MW, ou a Alsol  que vai entregar este ano mais 15 novos parques solares. Somente em energia solar os investimentos até 2030 serão de R$ 365 bi.

... e células de hidrogênio verde.

Outra tendência é o incentivo à produção de hidrogênio verde. O hidrogênio é um combustível universal obtido por meio de um processo químico conhecido como eletrólise, ou seja, utiliza a corrente elétrica para separar o hidrogênio do oxigênio que existe na água. Se a corrente elétrica vem de fontes renováveis, o produto resultante é chamado de hidrogênio verde, pois é zero em emissão de carbono.

A inexorabilidade da transição ...

A troca para uma matriz limpa e sustentável é certa e isso ensejará possibilidades muito interessantes. “A mudança para algo mais sustentável pode representar a melhor e maior oportunidade de investimento dessa geração e, talvez, da história” aponta Al Gore.  

 

... representa oportunidades ...

Por essa razão defender uma política de atração de indústrias de nível mundial com capacidade para atender a estas demandas e suas derivadas parece fazer cada vez mais sentido para nossa cidade.  


Marcos J. G. Rambalducci - Economista, é Professor da UTFPR. Escreve às segundas-feiras.