28 de setembro de 2020


É quase intuitiva a percepção da relação entre produção e emprego. Arthur Okun, economista americano, demonstrou isto de forma empírica com dados da economia americana dos anos 1950.

Seus estudos mostraram que a cada 3% de aumento do PIB acima da taxa de crescimento natural, havia uma redução de 1% na taxa de desemprego.

Também é obvio que o crescimento do PIB só se realiza a partir do investimento na produção. Então se torna fundamental pensar em como se dá o investimento.

O que é investir, ...

Investir é ampliar a capacidade produtiva futura de uma economia por meio de aplicações correntes em ativos fixos, ou seja, na compra de equipamentos que serão utilizados repetida e continuamente em outros processos produtivos. Este tipo de investimento recebe o nome de Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF)

... o quanto investir ...

Análises do Instituto de Pesquisa Econômicas Aplicadas (IPEA) apontam que, para um crescimento de 5% no PIB é necessário um investimento de 25% deste mesmo PIB.

... e quanto gera de empregos.

Crescer 5% ao ano significa, grosso modo, diminuir o desemprego em 0,5%. Ou seja, para reduzir a taxa de desemprego dos atuais 13,3% para 6,5% - aceitável para nossa economia - teremos que manter esta taxa de investimentos pelos próximos 14 anos.

Investimento público...

Uma das fontes é o investimento público. No entanto, este valor está comprometido dado as condições das contas públicas nacionais. O investimento do governo federal para 2021 será 0,4% do PIB.  

...  somado ao investimento privado...

Poupança é a parcela da renda que não é gasta no período em que é recebida. Esta poupança se soma ao crédito produtivo para formar o potencial de investimento nacional privado.

... é pouco para o que precisamos.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE mostra que taxa de poupança no segundo trimestre de 2020 chegou a 15,5% do PIB. Ou seja, o potencial de investimento nacional privado mais o investimento público estão longe de alcançar a taxa de investimento de que necessitamos.

Entra em cena o IED ... 

O Investimento Estrangeiro Direto – IED é constituído pela entrada de capital estrangeiro utilizado na compra ou estabelecimento de uma empresa de manufatura no país e não se confunde com compra de ações ou títulos de renda fixa, estes chamados de Investimentos Estrangeiros em Carteira - IEC.

... para suprir nossa falta de poupança

É esse capital que precisamos atrair para se somar aos nossos investimentos internos e que tornará possível um crescimento de nossa economia que permita reduzir o desemprego ao patamar desejável.

Aqui está o problema ... 

O Investimento Estrangeiro Direto não é propenso a investir em países que tem sua imagem ligada ao desmatamento e ao desrespeito ao meio ambiente, visto que estar associado a tal comportamento é péssimo para os negócios.

... e a solução

Precisamos, mais do que nunca, perpetrar ações de impacto imediato e futuro que sejam vistas como factíveis e eficazes na preservação de nossos biomas. Além disso é preciso levar a informação destas ações à comunidade mundial.

Afinal...

...à mulher de Cesar não basta ser honesta, tem que parecer honesta.     


Dr. Marcos J. G. Rambalducci, Economista, é Professor da UTFPR. Escreve às segundas-feiras.