25 de janeiro de 2021


Em coluna anterior (11) chamei atenção para a importância nosso o Masterplan a indicar ‘o que’ queremos e ao Plano Diretor a normatizar o ‘como’ queremos. 

Na última coluna (18) escrevi sobre duas obras estruturantes que, somadas as nossas vocações, colocam Londrina como roteiro turístico de qualquer viajante. 

Na coluna de hoje defendo centrar esforços na atração de quatro empresas de classe mundial, que, face as sinergias criadas, serão capazes de potencial nosso desenvolvimento de forma invejável.  

A função social da empresa ... 

Toda empresa é por princípio uma instituição social na medida que lhe cabe atender a demanda da sociedade por bens e serviços; gera renda para a sociedade por meio dos empregos e do lucro; e paga impostos que financiarão a saúde, a segurança, a educação e os investimentos em infraestrutura pública.

.. sob a égide da sustentabilidade.

Ela precisa realizar suas atividades dentro de parâmetros de sustentabilidade: sustentabilidade ambiental, sustentabilidade econômica e sustentabilidade legal.

Escolher as mais promissoras...

Considerando que nossa cidade precisa atrair novos investimentos empresariais, é fundamental centrar atenção em atividades capazes de desempenhar melhor o papel de disseminadora de riquezas alinhada a nossas peculiaridades e potencialidades.

... embora todas sejam bem vindas ... 

Neste sentido, empresas de cadeia produtiva longa - aquelas que necessitam de grande quantidade de outras empresas, tanto a montante como fornecedoras de produtos semiacabados, quanto à jusante utilizando os distintos modais para sua logística de distribuição, merecem ser privilegiadas.

... é melhor as que democratizam os resultados, ...

Isso porque o valor total agregado ao produto final será rateado em toda a cadeia produtiva, demandando empregos de distintos níveis de qualificação, e deixando a grande parcela deste valor dentro de nossa comunidade.     

... geram valor e poupam a natureza.

Mas queremos também empresas que sejam intensivas em tecnologia e não em matéria prima. Isso porque são menos agressivas ao meio ambiente, com capacidade de absorver o contingente de técnicos e engenheiros colocados no mercado por nossas instituições de ensino e são as que mais adicionam valor ao produto.

EBT de classe mundial ...

Estas características apontam para um tipo de empresa: Indústrias de Base Tecnológica. Elas precisam ser empresas de classe mundial, que utilizem nossos fatores de produção, mas vendam para o mundo de forma a injetar dinheiro novo em nossa economia.

... são transferidoras de tecnologia ...

A sinergia com nossas empresas, especialmente micro e pequenas, além da demanda criada, exigirá delas um alinhamento a novos processos e procedimentos que as colocará com capacidade de atender outras empresas de classe mundial.

... e impulsionam todos os setores.

Além disso trará uma nova dinâmica para o comércio e para os demais prestadores de serviço. Apoiar a micro e pequena empresa local passa necessariamente por trazer 4 empresas de classe mundial para Londrina.

A minha sugestão ...

Atrair uma indústria de veículos elétricos, uma indústria de células solares, uma indústria de robôs industriais e uma indústria de drones agrícolas. Perceba a sinergia que estas empresas fazem com as nossas e entenderá a razão destas escolhas.

... lembrando que 

Este tipo de indústria não é dependente do mercado local ou regional, pois vende para o mundo. Logística, cadeia de fornecedores e mão-de-obra qualificada são seu mote. Garantir tais facilidades, formalizar um projeto de atração e divulgar corretamente entre potenciais pretendentes, farão o resto.

Mais que uma cidade rica. Uma cidade rica para todos.



Dr. Marcos J. G. Rambalducci, Economista, é Professor da UTFPR. Escreve às segundas-feiras.