15 de junho de 2020


ARMADILHA DA LIQUIDEZ E SUAS IMPLICAÇÕES NA NOSSA ECONOMIA. 

Nesta semana acontece a 4ª reunião do Comitê de Política Monetária (COPOM), que discutirá uma possível nova redução na taxa básica de juros  e com ela, discussões acerca de um conceito chamado ‘armadilha da liquidez’. 

Tal situação traz consequências diretas para o setor produtivo, porque retêm investimentos e dificulta acesso ao crédito. Keynes foi quem identificou e explanou tal situação. 

 

Um jovem burguês ...

John Maynard Keynes (1883-1946), economista inglês,  filho do também economista John N. Keynes e de Florence A. Brown (que foi prefeita de Cambridge), tinha paixão por discutir arte e literatura com os seus amigos, intelectuais e artistas, conhecidos como o grupo Bloomsbury.

... com preocupações sociais ...

Teve como preocupação a tentativa de conciliar a prosperidade oferecida pelo liberalismo econômico com a justiça social e a liberdade individual e percebeu no desemprego a maior fonte de iniquidades e trabalhou no sentido de entendê-lo e mitiga-lo.

... que viu no ‘espírito animal’ ...

Foi nesse sentido que, em seu icônico livro “Teoria Geral do Emprego, do Juro e da Moeda”, de 1936, escreveu que a tomada de ações [a decisão por empreender, produzir e gerar empregos] depende do despertar de nosso ‘espírito animal’.

... a necessidade do otimismo.

O ‘espírito animal’ é aquela necessidade espontânea de agir em vez de não agir, escreve ele, e este espírito  precisa estar otimista para agir, caso contrário esmorece e morre.

O ‘espírito animal’ busca recompensa ...

Quem detêm dinheiro pode optar por dois investimentos: emprestá-lo para quem está devendo (comprando títulos públicos, por exemplo) e recebe como recompensa os juros ou, aplicar esse dinheiro no setor produtivo (comprando ações de empresas, por exemplo) e recebe como recompensa os lucros.

... enquanto o BC busca nos juros...

O Banco Central (BC) por meio do COPOM, calibra a taxa de juros da economia tendo como alvo a taxa de inflação. Se a inflação está tendendo a subir o BC aumenta a taxa tornando mais atrativo o investimento em títulos do governo do que no sistema produtivo.

... o controle da inflação.

Isso controla a inflação porque inibe o uso do dinheiro para consumo das indústrias e das famílias. O contrário também é verdadeiro. Quando o BC abaixa as taxas de juros, o aplicador prefere investir no sistema produtivo porque a recompensa é maior.

Aumento da liquidez...

Neste momento, mesmo com as mais baixas taxas de juros da história, a inflação está em queda e o BC deve abaixar mais ainda a taxa de juros. Tal medida deixa mais dinheiro disponível, ou em bom economês, aumenta a liquidez da economia.

... significa aumento na produção...

Tal medida significaria que essa maior liquidez seria utilizada em investimentos no sistema produtivo, seja para crédito às empresas e às famílias, seja para a compra de ações na bolsa de valores. Isso tudo gerando os empregos de que tanto precisamos.

... ou não.    

Ocorre que quem detêm dinheiro começa a desconfiar que os juros não se manterão em patamar tão baixo por tanto tempo. Então, em vez de aplicar em títulos públicos ou em ações de empresas, ele prefere guardar o dinheiro para aplica-lo quando os juros subirem.

Em outras palavras...

É aqui que está a armadilha. O BC baixa a taxa de juros, aumentando a disponibilidade de dinheiro, [ou seja, a liquidez na economia], que deveria se traduzir em aumento do investimento no setor produtivo, mas isso não acontece. Tal situação foi cunhada por Keynes como ‘Armadilha da Liquidez’.

... o sistema travou.

O ‘espírito animal’ não tem chances de florescer simplesmente porque lhe falta o alimento – o capital necessário para fazer frente à produção e ao consumo porque o dinheiro está empoçado, quase como se estivesse embaixo do colchão, sem qualquer serventia.

Neste momento, cabe ao governo tomar medidas que destravem a armadilha.

Marcos J. G. Rambalducci - Economista, é Professor da UTFPR. Escreve às segundas-feiras.