15 de fevereiro de 2021


Na coluna de 18.01 sugeri duas obras estruturantes com potencial para alçar Londrina à condição de cidade turística, uma delas, a criação do Parque Linear Lago Igapó.     

O Eng. Civil Ricardo Teruo Gharib, em ‘opinião do leitor’ na edição de 23.01, se mostra entusiasmado com a ideia e fica na expectativa de mais detalhes desta proposta. 

Sem dúvida que intervenções desta natureza exigem estudos científicos que tragam um entendimento profundo de tudo que envolve este ecossistema. A coluna de hoje dedico-a a mostrar um destes estudos, capitaneado pelo Prof. Dr. Jorge Alberto Martins da UTFPR campus Londrina.

Um cientista ... 

Prof. Jorge é Físico pela UEL, Mestre em Meteorologia pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, doutor em Meteorologia pela USP com estágio no Max Planck Institute for Meteorology em Hamburgo/Alemanha. Pesquisador Visitante junto à Division of Water Resources Engineering na Universidade de Lund/Suécia. Atua como professor no curso de Engenharia Ambiental na UTFPR-LD.

... à frente deste projeto.

A UTFPR, campus Londrina, sob a batuta do prof. Jorge, integra o consórcio intitulado ‘Research-based Assessment of Integrated approaches to Nature-based SOLUTIONS (RainSolutions)’, uma iniciativa internacional liderada pela Universidade de Lund, Suécia que, além do Brasil, conta com a participação de Noruega, Estônia, Irlanda, Holanda, Espanha e África do Sul.

... com Soluções Baseadas na Natureza...

O projeto tem por objetivo desenvolver uma estrutura integrada de metodologias para a restauração e reabilitação de sistemas urbanos de recursos hídricos, calcada em Soluções Baseadas na Natureza (NBS)

... e foco no bem-estar humano.

As Soluções Baseadas na Natureza são ações que visam proteger, gerir de forma sustentável e restaurar ecossistemas naturais ou modificados, com foco no bem-estar humano e benefícios da biodiversidade.  

Entender para propor...

Este estudo permitirá definir quais alternativas o conhecimento científico atual oferece para solução dos problemas associados ao Lago Igapó, em particular o assoreamento e a contaminação de suas águas por substâncias e resíduos transportados durante os eventos de chuvas intensas.

... as melhores alternativas...

O estudo também permitirá uma compreensão escalonada no espaço e no tempo dos recursos financeiros necessários para a recuperação da área de drenagem do lago, bem como das potenciais fontes de recursos para financiamento das soluções.

O dinheiro para a pesquisa. 

O consórcio é financiado com recursos do edital Water JPI 2018 Joint Call: Closing the water cycle gap (http://www.waterjpi.eu/joint-calls) e da Fundação Araucária, que é a agência de fomento à pesquisa do estado do Paraná.

Um economista ... 

Tive o privilégio de ser o porta voz desta proposta de estudos focados no Lago Igapó, quando, entre 17 e 19 de fevereiro do ano passado,  estive em Tartu/Estônia, para uma das reuniões periódicas do Consórcio.

... para valorar a natureza.

Como economista, meu papel na composição deste grupo é o de realizar os cálculos para a obtenção do valor econômico dos recursos ambientais com base em metodologias consagradas na literatura científica.

Agora é somar forças.

Daí nascia a ideia de unir o que a natureza proporciona em termos de bem estar humano com o potencial econômico de uma atividade turística para criar o maior parque horizontal do Brasil.

Se a sociedade a desejar e o poder público encampar, a academia pode subsidiar com o conhecimento necessário.


Dr. Marcos J. G. Rambalducci, Economista, é Professor da UTFPR. Escreve às segundas-feiras.