14 de dezembro de 2020


Na quarta-feira (9) o Comitê de Política Monetária – COPOM, em sua última reunião do ano, decidiu pela manutenção da taxa básica de juros em 2% ao ano.

Um dia antes o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) anunciava que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), fechou novembro com elevação de 0,89% acumulando alta no ano de 3,13% e de 4,31% quando considerados os 12 últimos meses.

O que estas duas informações têm que as conecta? 

Inflações diferentes ...

É notório que o IPCA de 3,13% no ano não reflete a percepção de inflação para as classes de menor renda, que viram os preços dos alimentos disparar nos últimos meses, visto que este item compromete muito mais o orçamento da baixa renda enquanto que itens consumidos por famílias de renda mais alta, que apresentaram redução nos preços, são invisíveis para os mais pobres.

..., mas em trajetória de alta.

Em 12 meses a inflação acumula alta de 4,31%, mas note que 3,3% desta alta ocorreu entre junho e novembro. Projetando a mesma inflação destes 6 meses para os próximos 6 meses, acumularemos inflação de 6,7% em 12 meses, muito acima do teto de 5,25% para 2021.

O problema surge ...

Caso o mercado acredite que a inflação ficará acima da meta, fará remarcação de preços defensiva no sentido de se proteger contra a perda da capacidade de recompor estoques.

... na construção das expectativas.

Esta é a senha para a chamada inflação inercial, em que o índice de inflação do momento é a inflação passada somada a expectativa de inflação futura - um processo de retroalimentação que leva ao descontrole dos preços. Para conter tal escalada a ortodoxia sugere a aplicação de políticas monetárias

A política monetária ... 

Política monetária é a atuação de autoridades monetárias sobre a quantidade de moeda em circulação. Um destes controles é feito por meio da taxa de juros dos títulos públicos e definido a cada 45 dias pelo COPOM.

... como ferramenta de controle.

Se aumenta o juro pago pelos títulos públicos, (hoje em 2% ao ano), algumas pessoas preferirão aproveitar esta rentabilidade deixando de gastar o dinheiro com outras compras. Menos pessoas comprando, os preços tendem a cair.

Mas esta forma de controle...

Quando falamos de pessoas comprando, estamos nos referindo não somente a compras do consumidor final, mas também a compras feitas na forma de investimentos produtivos (insumos, bens de capital, mão-de-obra)

... tira fôlego para a retomada.

Em outras palavras, o controle da inflação é por excelência recessivo. A pergunta então é: como aplicar medidas recessivas em um momento em que a economia mal se segura em pé?

Conclusão

A situação é delicada e demandará muita sensibilidade das autoridades monetárias para encontrar o melhor ponto de equilíbrio, mas prevejo que teremos que conviver com inflação mais elevada ao longo de 2021.


Dr. Marcos J. G. Rambalducci, Economista, é Professor da UTFPR. Escreve às segundas-feiras.