12 de outubro de 2020


Um dos assuntos mais presentes na mídia nos últimos dias foi a liberação para correntistas aderirem a um novo sistema de pagamentos instantâneo chamado PIX, realizando o cadastro de uma chave em sua conta bancária.

O Brasil dispõe de um sistema de pagamento instantâneo desde 2002, que permite fazer transferências entre contas cujo crédito acontece em até 30 minutos. Então, qual a vantagem desta nova modalidade?

Pagamento instantâneo ...

Por pagamento instantâneo entenda-se: uma transferência eletrônica de recursos financeiros entre duas contas, em que a pessoa que enviou e a que recebeu são avisadas imediatamente, e o dinheiro migra de uma para a outra em questão de segundos.

... no Brasil desde 2002.

Este procedimento está disponível para o correntista brasileiro desde 2002, quando foi implantada a Transferência Eletrônica Disponível (TED), que permite via internet banking, realizar transferências, de segunda a sexta entre 6h30 e 17h00, a um custo médio de R$ 8,00 por operação.

Então ... qual a novidade?

O PIX traz uma série de vantagens em relação à TED, a começar pela gratuidade para pessoas físicas e Microempreendedores Individuais, operará 24 horas por dia, todos os dias da semana e dispõe de uma forma muito mais simples de realizar a operação, que pode ser feita do celular a partir de uma chave virtual.

Sistema já é adotado em vários países...

Mais de 50 países já adotam ou estão em vias de adotar sistema semelhante ao PIX. Entre os BRICs, a Índia conta com transferências por celular desde 2016 por um aplicativo chamado Aadhaar, na China são dois sistemas privados, Alipay e WeChat Pay.

... e da América Latina.

O Chile foi o primeiro país da AL a adotar um sistema de pagamentos nestes moldes, mas é no México que esta solução mais se parece com a adotada aqui, chamado CoDi, que permite transferências instantâneas utilizando o celular.

A adesão é feita eletronicamente...

No caso do PIX, a adesão ao modelo de transferência teve início na semana passada, bastando acessar seu banco pelos caixas eletrônicos ou pela internet e cadastrar uma chave PIX, que pode ser o número do seu celular, CPF/CNPJ, e-mail, ou ainda, uma Chave aleatória.

... ao registrar sua chave PIX...

Pessoas físicas poderão registrar até cinco chaves PIX por conta enquanto pessoas jurídicas até 20 chaves. Como existem apenas quatro formas diferentes de cadastrar a chave PIX, é possível cadastrar mais de um e-mail ou telefone celular.

... que servirá como localizador.

Muitos consideram que utilizar CPF ou endereço de e-mail é arriscado uma vez que tais dados são facilmente localizados. No entanto, essa a chave funciona como o endereço da conta para identificá-la no momento que alguém realiza uma transferência para sua conta. 

Como funcionará?

Se você vai fazer uma transferência ou pagar por uma compra basta saber uma das chaves PIX do recebedor. Mas ele também pode gerar e te enviar uma chave aleatória no formato de um QR Code. Neste caso, bastará apontar seu celular para o código, você confirma a operação e ... pronto, o dinheiro foi transferido.

É o fim dos cartões e das maquininhas?

A extinção do cartão de débito é iminente. Já as operadoras de maquininhas de crédito e débito precisarão rever seu modelo de negócios pois perderão a receita das transações. Os cartões de crédito também serão impactados na medida que o PIX permite o agendamento do crédito.

Será que pega?

O sistema somente estará disponível a partir de 16 de novembro conforme cronograma do Banco Central, mas sexta-feira 09/10, cinco dias após a abertura do cadastramento, já eram 25 milhões de chaves registradas no PIX.

Os números falam por si.  


Dr. Marcos J. G. Rambalducci, Economista, é Professor da UTFPR. Escreve às segundas-feiras.